Estamos vivendo tempos incomuns! Com a pandemia, tivemos que mudar diversos hábitos no nosso cotidiano. Com estas mudanças, estamos cada vez mais dependentes de entregadores de alimentos, de plataformas de entretenimento remotas, do home office, dos encontros virtuais com os amigos e, obviamente, dos provedores de internet, que permitem que, basicamente, todo o resto seja feito.

A internet está sendo a principal ferramenta que possibilita as mudanças em nossos hábitos. Em meio ao isolamento, é por meio dela que podemos nos comunicar, nos entreter, comprar, aprender e trabalhar. Assim, trouxemos alguns indicativos que demonstram a dependência cada vez maior da internet para realizarmos nossos afazeres. Vale lembrar que os dados abaixo representam as mudanças que ocorreram devido a pandemia:

  • O consumo de internet cresceu entre 40% a 50%;

  • Compras pela internet cresceram em 47%;

  • A prática de home office aumentou em 30%;

  • A compra digital de produtos alimentícios aumentou em 79%;

  • 52% dos brasileiros estão consumindo mais conteúdo online;

  • O aumento em minutos passados nas redes sociais foi de 19;

  • Das três plataformas com maior consumo de conteúdo estão contempladas vídeos online e plataformas de streaming.

Estes são apenas alguns dos dados que mostram as mudanças oriundas dos novos hábitos de consumo em meio a pandemia. Claramente, o consumo está muito mais voltado para o mercado digital, tanto em aspectos de entretenimento, quanto de subsistência, além de demonstrar uma dependência inédita da internet para com o mercado de trabalho.

Todos estes dados nos levantam insights muito interessantes, contudo, geram algumas dúvidas e indagações também, uma delas é como o aumento do trabalho remoto influenciará o mercado de provedores, afinal, com tantas pessoas usando cada vez mais a internet nas suas casas, é fundamental que os provedores de internet deem conta do recado.

INSATISFAÇÃO COM A INTERNET

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as taxas de reclamações dos serviços de internet a partir da segunda metade de março – quando o isolamento social se intensificou – aumentou consideravelmente. O crescimento de comentários insatisfeitos também apareceu no site “Reclame Aqui”.

Essa insatisfação dos usuários pode ser comprovada com base nos dados do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC), que demonstrou que, após a confirmação dos primeiros casos, em março, o país registrou uma velocidade de download abaixo da média, o que demonstra que as solicitações nos servidores ficaram maiores e mais demoradas.

HOME OFFICE

Todas essas reclamações e demandas demonstram uma necessidade no mercado, a de melhores serviços e planos por parte dos provedores de internet. Muitas pessoas vêm buscando pacotes de internet maiores e mais rápidos, principalmente quando esta carência se relaciona com o trabalho e afazeres profissionais, como videoconferências, upload de documentos e a utilização de softwares pesados.

Portanto, é perceptível que as empresas de provedores de internet terão que se adaptar a essa realidade e entender que seus clientes serão cada vez mais dependentes de seus serviços e consequentemente mais exigentes, tendo em vista a necessidade de uma internet rápida, que supra suas necessidades profissionais e pessoais e que ainda caiba dentro do seu orçamento mensal.

LIVES

Além da necessidade profissional, fica cada vez mais explícita nossa necessidade por entretenimento online, ainda mais quando este entretenimento possibilita interação ao vivo, isso pode ser notado pelo aumento das lives. Só no Instagram, as lives aumentaram em 70%!

O argumento do psicólogo Chris Ferguson, da Stetson University é de que “As pessoas estão recorrendo às telas e à tecnologia para saciar suas necessidades sociais que, por ora, não podem ser saciadas no mundo real”.

Mas você pode estar se perguntando o que isso tem a ver com o mercado de provedores, e a resposta é simples: com a necessidade de estarem conectadas ao vivo com celebridades, influencers e com seus amigos, as pessoas passam a precisar de uma internet boa e rápida, que satisfaça sua necessidade de estar online em vários momentos, sem interrupções, quedas de internet ou instabilidades. Sendo assim, elas esperam que seus provedores atendam a essa necessidade sem trazer “dores de cabeça”.

AUMENTO DO USO DAS REDES SOCIAIS

Como você já deve imaginar, a utilização das redes sociais cresceu. Além das lives no Instagram, o uso do Whatsapp cresceu em 76% ao redor o mundo, e o Facebook registrou um aumento de 10% de uso comparado ao ano passado. Estes dados mostram a necessidade cada vez maior de estar conectado, socializando virtualmente com amigos e familiares.

O que também vem aumentando são os conteúdos no formato de vídeo, não só no YouTube e nas plataformas de streaming, mas também na nova rede social que é o sucesso do momento, o TikTok. E vídeos, querendo ou não, consomem mais da internet.

COMPRAS PELA INTERNET

O mercado de e-commerce também está crescendo! O número de brasileiros que fazem compras online aumentou em 24%, de acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Especula-se que o mercado das lojas virtuais crescerá 18% em 2020, quando comparado ao ano passado.

As pessoas estão comprando mais pela internet e aparentemente esta é uma atitude que veio para ficar. As compras online antes eram vistas por muitas pessoas como algo inseguro e sujeito a golpes, contudo isso vem mudando e estas pessoas estão tendo que mudar seus hábitos e a aprender a confiar nas compras pela internet, o que aumenta a necessidade e a função da rede na vida delas.

Todos os indicativos do mercado mostram não só que os provedores de internet precisam se aprimorar, mas que eles também têm grandes chances de crescer, conseguir novos clientes e vender planos maiores.

Então, neste momento, é muito importante que os provedores agarrem essa chance e demonstrem ser uma das melhores opções do mercado.